Dicas Gestão de Pessoas

Os 4 maiores medos de implantar a tecnologia na gestão de RH

Escrito por Gerson Penitente

É inegável que o uso de tecnologia no RH tem trazido modificações e transformado as práticas de Recursos Humanos dentro de uma empresa. O RH desempenha papel fundamental para agregar valor à cadeia organizacional, utilizando a tecnologia para enxergar as pessoas como fonte de vantagem competitiva no mercado.

Em muitos casos, porém, as organizações enfrentam alguns obstáculos ao longo do processo de implantação de novas tecnologias no RH.

Muitas vezes, por exemplo, os próprios colaboradores não veem a necessidade de aplicar a tecnologia no RH, pois nem sempre se sentem confortáveis em utilizar as novas tecnologias, principalmente por conta do medo da mudança.

Aliado a isso, existe um outro obstáculo muito comum enfrentado na implementação da tecnologia no RH: as falhas de comunicação. Nesses casos, é fundamental que os profissionais da empresa sejam informados sobre as vantagens e os benefícios proporcionados pelo novo sistema.

Por fim, um terceiro desafio importante é a noção de muitos profissionais de que o sistema de trabalho já implantado na empresa não deve ser mudado, que é suficiente para atender a todas as demandas que chegam à companhia.

Diante disso, é essencial que fique claro que vivemos uma realidade de adequação às obrigações do eSocial e às constantes modificações na extensa e complexa legislação trabalhista brasileira, o que torna fundamental avaliar se o sistema implantado realmente dá conta das devidas adaptações e exigências.

Tamanha demanda, aliás, é o principal argumento a favor do uso da tecnologia na gestão de RH, pois, sem ela, é praticamente imensurável o esforço que seria necessário para estruturar essas informações e enviá-las dentro das especificações.

Ora, se o governo tem criado sistemas de automatização para os seus processos, é fundamental que todos os setores de uma organização estejam devidamente atualizados e em constante modernização para atender a essas novas exigências e estar em consonância com o que é praticado no mercado.

Com tudo isso em mente, elencamos os 4 maiores medos na hora de implantar a tecnologia no RH e de que maneira superá-los. Vamos lá?

1. Custos de manutenção

Um dos pontos que mais gera desconfiança quando se decide por implementar um software de gestão diz respeito ao seu valor, especialmente aos custos de adequação e manutenção.

Há também uma certa hesitação por conta da dificuldade em se calcular o ROI (retorno sobre o investimento) da tecnologia a ser aplicada. Tudo isso acaba gerando um receio de que a empresa talvez não seja capaz de manter o sistema com seus próprios recursos.

No entanto, o que se observa na prática não dá fundamentos a esses argumentos. Na verdade, o uso da tecnologia no RH torna o posicionamento de cada setor dentro da cadeia organizacional muito mais claro, o que acaba reduzindo consideravelmente os custos operacionais da empresa.

2. Falta de profissionais qualificados

Outro receio comum dentro das empresas se refere à dificuldade de encontrar profissionais habilitados e qualificados para implantarem o sistema de maneira eficiente.

Para isso, dentre os principais aspectos a se avaliar em uma ferramenta de gestão estão a facilidade e a praticidade de uso. Afinal, quanto mais simples for sua utilização, mais fácil será treinar e manter os profissionais atualizados e, consequentemente, motivados.

Sendo assim, é importante que seja feito um planejamento detalhado e um treinamento eficiente dos colaboradores para que recebam bem o sistema e garantam que os processos estejam alinhados às estratégias da companhia. 

Outra prática eficaz é manter um plano de reciclagem de conhecimento para os colaboradores que operam a ferramenta, bem como manter a equipe sempre atualizada em relação às mudanças da legislação de RH e ao próprio sistema implantado.

É interessante também que seja montada uma equipe especialmente voltada para as inovações que serão feitas, direcionando as mudanças em conjunto com os novos usuários do sistema. Para que seja efetiva, no entanto, essa equipe deve ser formada por profissionais de todos os escalões, contando com líderes, gerentes e usuários.

3. Cultura organizacional

Uma das maiores barreiras ao sucesso da tecnologia no RH é a mudança cultural e consequente aceitação das novas ferramentas e da nova maneira de realizar as tarefas diárias. Um dos grandes desafios é rever processos e incorporar novos sistemas sem perder os valores da empresa.

O sucesso dessa etapa vai depender da maneira como ela é conduzida, exigindo trabalho em equipe, mudanças de postura e comportamento e também no gerenciamento da cultura da companhia.

Conhecer a cultura da empresa e realizar uma análise da estrutura organizacional e dos seus processos com foco na visão de negócio proporciona uma melhor compreensão dos aspectos que podem interferir na implantação e na aceitação de novas tecnologias para gestão de RH, bem como promover sua aprovação por todos os usuários.  

Para isso, os líderes desempenham função central para enfrentar esse cenário e os desafios que ele traz. Isso porque a falta de suporte das lideranças têm influência direta no comprometimento e na colaboração entre as equipes de diferentes setores.

Para contornar esse problema, a melhor saída é a realização de reuniões estratégicas, como foco no diálogo e na demonstração dos benefícios que a tecnologia pode trazer para o crescimento e evolução da companhia.

Colocar-se à frente das inovações tecnológicas, adotando sistemas automatizados e outras ferramentas, traz ganhos de produtividade importantes e otimiza a capacidade do RH. Em outras palavras, o líder que não busca conhecer as inovações que tem à sua disposição para o crescimento da organização corre o risco de tornar sua empresa defasada, perdendo oportunidades de novos negócios.

4. Resistência da equipe de RH

Por fim, outro grande medo enfrentado é a resistência da própria equipe de RH. Durante a implantação de um novo sistema, é natural encontrar focos avessos a essas mudanças, motivados, sobretudo, por uma apreensão em relação às inovações e pelo medo dos colaboradores de perder o emprego e se tornarem obsoletos dentro da companhia.

Esse fenômeno se dá por uma série de motivos. Da velocidade com que surgem novas tecnologias ao despreparo e falta de visão das maneiras como elas podem ser empregadas e geridas dentro da empresa, o ‘novo’ ainda assusta no ambiente empresarial – inclusive a líderes e gestores.

Para evitar que isso aconteça, é necessário que todos os setores sejam informados, didaticamente, sobre as vantagens e facilidades que a tecnologia proporcionará à gestão de Recursos Humanos e sobre a consequente troca de um papel operacional para uma atuação cada vez mais estratégica dos trabalhadores, que poderão colaborar mais ativamente com os rumos a serem tomados pela companhia.

Por fim, a mudança na infraestrutura tecnológica da empresa é outro ponto que mexe diretamente com o fator humano da organização. A implantação de um sistema de gestão pode, por muitas vezes, ser vista como algo revolucionário, que transforma a relação entre os profissionais e o modo como o negócio é conduzido.

Por isso, a implantação de ferramentas deve ser associada a um processo que gere motivação, treinamento e capacitação suficientes para anular a resistência e transformá-la em engajamento, para que a empresa consiga cumprir metas e atingir os objetivos planejados.

Ficou interessado e quer saber mais sobre este assunto? Então baixe gratuitamente o nosso Guia Prático para o RH Estratégico e informe-se sobre os principais desafios do setor!

Sobre o autor

Gerson Penitente

Gerson é Gerente de Relacionamento e Atendimento no Grupo HCM.

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/gersonpenitente/

Deixar comentário.

Share This